Day 3: Fomos ao Shopping

Standard

No 3º dia fomos ao Shopping e lógico que logo de cara eu já fui atrás do meu Nexus 5. Saiu mais caro que eu se eu o tivesse comprado online pela Amazon (e falando em Amazon, acho que está na hora de ver os preços das roupas de frio lá because winter is coming). Ah eu esqueci de falar do Dining Hall e do Beefeater. Quando chegamos aqui, estávamos com muita fome e sem o Wolfpack One Card, então tivemos que ir no Talley Stundet Center pra comer algo, e lógico que não havia nada saudável ou algo que já tivessemos comido antes. O que a gente fez foi pedir a sugestão de um dos veteranos e comprar um tal de Beefeater. Olha, até que não era ruim, mas acho que jamais comerei aquilo de novo. Sustenta bem, mas simplesmente não é algo que dá vontade de comer de novo. No Fountain Dining Hall eu fui muito noob e peguei um monte de bobagens, e deu que neste 3º dia eu não quis nem comer o breakfast.

IMG_20140816_171959

O Crab Tree Valley Mall é bem legal, e também muuuuuuuuuuuuuuito longo. Comprei dois shorts lá, um shampoo para dandruff (caspa), e fiz o plano internacional da T-mobile. Voltamos pra universidade da mesma forma que fomos: pegando a linha 4 do sistema de ônibus CAT (Capital Area Transit). Uma coisa interessante do sistema de ônibus aqui é que quando não tem mais assentos, ninguém pode utilizar o ônibus. Ah e o passe pro dia inteiro custa apenas US 2,00, o que não é muito não. E bem, foi neste dia que aprendi que não sei fazer compras. Precisei muito do Pedro pra me ensinar várias coisas básicas hahahaha É simplesmente muita variedade. Faço compras melhor agora, mas sempre me sinto um pouco perdido com as opções.

Day 2: Muitas coisas pra fazer

Standard

O segundo dia foi repleto de coisas pra fazer, mas primeiro vamos falar do que aconteceu quando cheguei no aeroporto de Raleigh.

Quando eu e a galera chegamos em Raleigh, a primeira coisa que fizemos foi procurar a Milagro, nossa advisor NC State. Depois, fomos pegar nossas bagagem. A minha, novamente, foi uma das primeiras a a aparecer. Posteriormente, uma das americanas mais abrasileiradas da universidade chegou e meu, como ela é fofa. Ela sempre tenta falar em português. O único porém disso é que ela anda aprendendo mais português do que a gente o Inglês, but that’s ok.

S
Depois, fomos para os nossos dormitórios nos ônibus da universidade. Meu, como fiquei ansioso em ver pela primeira vez como é a cara da universidade, e olha, não demorou muito não. O aeroporto Raleigh-Durham é meio longe de Raleigh, mas o tráfego aqui é muito tranquilo. AMEI demais a arquitetura da universidade e principalmente que aqui tem árvores em TODO canto.

No 2º dia a gente tentou, principalmente, fazer o plano de celular. Eu estava bem mais interessado em comprar um celular, o que só pude fazer no dia seguinte. Acabou que no 2º dia eu só fiz praticamente o Wolf Pack One Card, mas ok.

Depois, fomos dormir e nos preparar pro 3º dia, quando a gente resolveu ir no Shopping.

Day 1: A emocionante partida

Standard

No dia 13 de Agosto eu dei início ao meu intercâmbio. Mal sabia o que me esperava pela frente. Eu parti com a minha mãe até o aeroporto de Londrina junto com as malas. Na época, eu não queria admitir para ninguém da minha família que iria sentir muitas saudades. Fiquei falando e falando pra minha mãe que não sou apegado. Pobre eu! Não sabia que gostava tanto daquele lugar assim!

S

Quando chegamos no aeroporto de Londrina, eu passei o tempo junto com a minha mãe olhando os aviões partindo e decolando. Enquanto isso, passava-se mil coisas na minha cabeça e eu continuava fingindo que estava tudo ok internamente. Chegou a hora que a o meu pai chegou e por fim, o avião. Eu fui até a sala de embarque e nem me despedi direito dos meus pais! Eu fui um grande idiota e foi exatamente nesta hora que a ficha caiu pra mim. Eu comecei a chorar pensando no que estava pela frente. Pensando em viver sem os meus velhos por 1 ano e principalmente como eu fui um imbecil por não ter me despedido da forma certa com os meus pais.

S

*Desculpa eu estar jogando as informações assim aqui, mas está difícil juntar tudo em algo coerente*

Quando o avião decolou eu chorei mais ainda. Eu não conseguia nem prestar atenção no cenrário bonito por estar na janela. Quando cheguei em Curitiba, eu fiz de tudo pra contactar meus pais que estava tudo ok, mas não consegui, e isto me fez sentir pior ainda. Naquele momento eu estava me controlando, mas apenas por muito pouco.

Parti de Curitiba em direção ao aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Quando cheguei lá, eita correria! Nunca tinha entrado naquele aeroporto antes e me sentir TOTALMENTE perdido, mas por fim deu tudo certo encontrar o balcão da Delta e pegar minhas passagens. Fiquei SUPER feliz que deu tudo certo em relação a bagagem. Eles levaram de um voo para o outro automaticamente.

Chegando no portão de embarque do DL 58 eu encontrei parte do pessoal que iria junto comigo pra NC State. Achei todos super gente boa e de cara já me sentir numa família. Isso me ajudou muito emocionalmente e quase me fez esqueceu tudo que aconteceu na despedida super fail com os meus pais (ah meu Deus, sempre que falo nisso me dá um aperto no coração. Como queria ter me despedido deles da forma certa. Eu apenas dei um aperto de mão na minha mãe e o meu pai eu nem vi na hora do embarque. Vontade de me matar numa hora dessas). Eu sou péssimo em demonstrar meus sentimentos. Como gostaria que isso não fosse parte de mim.S

Mas bem, no avião para Atlanta eu sentei junto com uma das minhas melhores amigas aqui, a Vic. Ela é MUITO gente boa e conversamos e rimos o voo inteiro. O voo DL 58 foi uma bosta, no entanto. Achei o avião extremamente velho, barulhento e desconfortável. O avião do voo Londrina -> Curitiba -> São Paulo da TAM foi muito mais top. Achei a comida do voo da Delta muito sem graça também,

Mas bem, tinha finalmente chegado aos EUA. Eu AMEI ver aquelas casas típicas de american dream do alto! Que coisa mega bonita e fofa! Eu jamais tinha pensado alguns anos atrás que o dia estava tão perto, que eu finalmente estaria nos EUA e iniciaria a realização de um sonho!

Ah e em Guarulhos eu encontrei um cara do mestrado que iria pra Columbus (não lembro o nome dele. Sou péssimo em lembrar nomes) e conversei com ele boa parte do tempo até encontrar meus amigos no portão de embarque em Guarulhos. Só passando pra mencionar que ele faz parte desta história também.

Atlanta é um aeroporto RIDÍCULO de grande. Rapaz, tive que pegar até metro pra chegar no portão de embarque do voo que iria até Raleigh. Bem, lá encontramos o pessoal do Rio de Janeiro e como foi bom conhecer eles!

Ah, só mencionando que fiquei muito excitado em ver como me sairia falando em Inglês com os americanos, e fiquei muito feliz que consegui me sair até bem. Amo quando consigo manter uma conversa com um nativo sem muitos problemas.

Bem, pegamos o voo até Raleigh e como amei ver tudo de lá do alto de novo. Desta vez foi melhor ainda porque tinha pegado um assento na janela. No voo até Atlanta eu não tinha conseguido fazer isso e acho que aqui que para porque quando cheguei em Atlanta já era o próximo dia, que então faz com que o resto desta história fica pro post Day 2.

Desculpa eu jogar um monte de pensamentos juntos sem qualquer coerência entre eles. É realmente difícil juntar tudo e fazer uma coisa.